Quais as mídias mais usadas durante a pandemia? - Aldeia Conteúdo

Quais são as mídias que mais vêm sendo usadas durante a pandemia?

15/05/2020

Nos últimos meses, o consumo de mídias foi intensificado no Brasil e no mundo.  Isso vem acontecendo principalmente por um motivo: as pessoas têm ficado mais tempo em casa, devido ao avanço da pandemia e a necessidade de quarentena. 

Dessa forma, diferentes gerações estão tendo a oportunidade de dar um pouquinho mais de tempo àquilo que elas mais gostam de fazer, seja utilizar celular, ver conteúdos através de serviços de streaming ou mesmo ler um livro. 

Inclusive, algumas pesquisas já foram feitas para provar todo esse avanço no consumo e também para mostrar quais as mídias mais acessadas aqui dentro do país. 

Confira os dados mais interessantes! 

Pesquisa da Visual Capitalist 

Segundo uma pesquisa do site Visual Capitalist, que realizou um estudo com 4 mil pessoas entre 16 e 64 anos da Inglaterra e dos Estados Unidos, em geral, o aumento de consumo nessa quarentena foi de 68% em relação ao normal. 

O que isso quer dizer? Se a pessoa antes da pandemia gastava 100 minutos por semana assistindo filmes na Netflix, esse número com a quarentena aumentou para 168 minutos. 

Porém, para efeito de comparação, o estudo registrou as mídias que mais sofreram aumento em cada geração.

Geração Z

Com a geração Z (jovens de 16 a 23 anos), assistir vídeos online liderou como atividade mais feita que o habitual, com 51% de aumento no consumo, seguido de TV online/streaming de TV (38%), videogame (31%), streaming de música (28%) e televisão (24%). Há destaque também para imprensa online (21%) e livro (18%). 

Millennials

Já entre os Millennials (pessoas de 24 a 37 anos), vídeo online é o tipo de mídia que mais está sendo utilizada, com um salto de 44%. Essa geração também aumentou o acesso principalmente dos seguintes dispositivos: TV online/streaming de TV (41%), imprensa online (36%), streaming de música (35%) e televisão (35%). Além disso, videogame (31%) e livestream (30%) são outras mídias ampliadas por esse público durante a pandemia.

Geração X

Na geração X (pessoas de 38 a 56 anos), televisão (45%) sai na frente. Em seguida, vem TV online/streaming de TV (38%), rádio (38%), vídeo online (35%), imprensa online (31%), streaming de música (27%) e livestream (21%). 

Boomers (ou Baby Boomers)

Por fim, com os conhecidos como boomers (pessoas de 57 a 64 anos), a televisão tem sido a mídia mais consumida, já que representa aumento de 42% nessa geração. Os outros dispositivos que completam o ranking são: TV online/streaming de TV (21%), imprensa online (15%), rádio (15%), livro (13%), streaming de música (12%) e vídeo online (11%). 

O estudo também analisou as atividades que mais estão sendo feitas na Internet durante a pandemia. Dentre as várias citadas, se destacaram as seguintes: 

– Ouvir música: 58%

– Assistir a clipes de música ou shows: 49%

– Assistir a vídeos engraçados: 42%

– Jogar jogos mobile: 40%

– Ver memes: 30%

Realidade brasileira 

No Brasil, o consumo de mídias na pandemia não é tão diferente da realidade mundial. 

Segundo dados do Kantar Ibope Mídia, cresceu 17% o consumo de conteúdo dos telejornais. Ou seja, há mais pessoas interessadas em assistir o jornal na televisão para se atualizar dos acontecimentos.

Em contrapartida, a internet não fica pra trás, já que houve um aumento de 8,1% do tempo gasto pelos brasileiros nos meios virtuais, segundo levantamento feito pela Opensignal e publicado pela Revista Exame. 

Audiência em plataformas digitais brasileiras

Outra pesquisa que nos ajuda entender o uso de mídias durante a pandemia é da empresa de análise de mídia Comscore. O estudo se propôs a analisar a medição de audiência em plataformas digitais brasileiras entre dois intervalos de tempo: de 9 a 15 de março e 16 a 22 do mesmo mês. 

O resultado? Houve um aumento de 43,1% semana a semana da busca dos usuários por conteúdo familiar e jovem. De 637 milhões de visualizações, passou para 912 milhões. Em seguida, está a categoria de Notícias, que teve salto de 725 milhões para 1,03 bilhão de acessos. Um aumento de 42,3% na busca por informações diversas, principalmente motivadas pela pandemia do coronavírus. 

Ainda, houve aumento na procura em outras categorias, como Jogos (20%), Entretenimento (22,8%) e Redes Sociais (26,2%). Essa última, inclusive, passou de 34 bilhões para 43 bilhões de sessões. 

Em contrapartida, a categoria de Viagens sofreu queda expressiva entre as duas semanas da análise, com diminuição de 25% da procura dos usuários das plataformas digitais.

Aproveite o aumento no consumo de streamings de música e confira também os 10 podcasts mais populares do Brasil!

 


Compartilhar:

Aldeia Marketing de Conteúdo
Por:
Aldeia Marketing de Conteúdo