Redes lançam novas funcionalidades na pandemia - Aldeia Conteúdo

Em meio ao coronavírus, redes sociais lançam novas funcionalidades

19/05/2020

Mais de dois meses da chegada da pandemia aqui no Brasil e, como não poderia ser diferente, a maior parte da população tem ficado isolada em casa. O que significa também que muitas empresas estão com funcionários trabalhando de forma remota, uma verdadeira prova de que o mundo está passando por mudanças quase que diárias!

E você sabia que até as redes sociais também vêm acompanhando esse cenário, bem como os possíveis problemas dos seus usuários com o avanço do coronavírus?

Plataformas como Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp e LinkedIn estão anunciando novas medidas a cada dia. Entre as funcionalidades, há stickers para promover a importância do isolamento, outros para fazer com que negócios tenham mais clientes pelo delivery e até abas para fornecer informações e orientações mais seguras sobre as mais recentes novidades em decorrência do vírus. 

Quer saber as principais novidades de cada rede? É só continuar lendo o post!

Facebook

Entre as redes sociais preparadas com avanço do coronavírus, está o Facebook. O primeiro passo da plataforma para ajudar nesses tempos de pandemia foi criar uma página especial apenas com recursos para a COVID-19.

Na Central de Recursos para Empresas, o usuário consegue encontrar um guia de gerenciamento e planejamento para o negócio continuar funcionando, medidas preventivas para o surto de coronavírus e até um kit de ferramentas de resiliência. 

 

Redes sociais pandemia

Central de Recursos para Empresas, plataforma criada pelo Facebook / Foto: Reprodução

 

Indo para um lado mais sentimental e de empatia, outra ideia da plataforma foi aumentar a oferta de reações das publicações, incluindo um botão de “força” aos usuários. Enquanto durar a pandemia, essa nova opção, que já está disponível, estará representada por um emoji abraçando um coração vermelho. No Facebook Messenger, a figura aparece com um coração de tom roxo pulsante. 

De acordo com a empresa, as novas reações foram planejadas para permitir que as pessoas demonstrem suporte uma às outras, em um momento que as relações estão estritamente mais virtuais. 

 

Emojis

Novas reações do Facebook / Foto: Reprodução

Instagram

Na outra rede social de Mark Zuckerberg, o Instagram, são várias as novidades para o Stories da plataforma. 

Primeiro, foi lançado o sticker “Em Casa”, que é uma maneira das pessoas compartilharem o que estão fazendo na quarentena dentro do seu próprio lar. Todas postagens com a figurinha, que tem dois formatos diferentes, ficam separadas na seção de Stories da página inicial do aplicativo, sendo que lá também aparecem as publicações de amigos que também colocaram o selo.

Em seguida, com funcionamento semelhante a anterior, chegou a figurinha de “agradeço”. Desenvolvido para os usuários expressarem sentimentos de gratidão para os profissionais da saúde, que são os que mais estão na linha de frente contra o coronavírus, o sticker também foi idealizado para ser utilizado naquelas postagens de superação pessoal durante a quarentena. Todo dia, às 19h, as publicações com o adesivo são organizados na seção dos Stories que leva o mesmo nome. 

E não para por aí. Para ajudar as empresas nesse momento, o Instagram, assim como o Facebook, criou medidas específicas. Uma delas é o sticker “Apoie as Pequenas Empresas”. O novo recurso tem o intuito de que os próprios usuários auxiliem na divulgação de pequenos negócios do bairro ou do entorno, já que esses estabelecimentos comerciais são os que mais estão sofrendo com o impacto econômico. 

Com esse adesivo, além de mostrar o perfil da marca na rede social, é possível exibir ou ocultar os últimos posts. Bom, não é? Com certeza, uma excelente alternativa para dar mais visibilidade ao restaurante ou loja que você escolher. 

A novidade fica disponível em um mural chamado “Compra local”, semelhante aos outros stickers. 

 

Redes sociais pandemia

“Apoie as Pequenas Empresas”, “Em casa” e “Agradeço” são os novos stickers do Instagram / Foto: Reprodução

 

Outra ideia, só que restrita às contas comerciais da plataforma, é o “Pedir Refeição”. O botão pode ser adicionado às publicações de restaurantes parceiros da Rappi e do UberEats. Ao clicar nele, o usuário é direcionado a uma página no aplicativo de delivery para assim, concluir a compra.

E isso pode alavancar (e muito) as vendas de pequenos comércios, já que permite que aquelas marcas que não possuem 10 mil seguidores e por consequência, nem o recurso de “arrastar para cima” possam inserir um link externo nos Stories.

Twitter 

O Twitter, a querida rede do passarinho azul, como as outras redes sociais, não ficou sem apostar em novas medidas em decorrência do novo coronavírus. 

Para combater a viralização de conteúdos falsos, a plataforma criou uma aba só com notícias sobre o coronavírus na seção “Explorar”. 

Chamada de Covid-19, nome científico da doença causada pelo vírus, nessa aba, o usuário consegue ter acesso a conteúdos importantes sobre a pandemia e o melhor: de sites confiáveis. 

Ainda, a rede elaborou um alerta para sinalizar ao usuário que determinado tweet contém material manipulado e enganoso. Tal alerta serve para postagens relacionadas ao coronavírus e também outros assuntos. Esses rótulos irão vincular o conteúdo a uma página externa e selecionada pelo Twitter que contenha informações verdadeiras, contrapondo com as afirmações feitas pelo autor. 

Aba do Twitter "Covid-19"

Aba “Covid-19” é uma das novidades do Twitter / Foto: Reprodução

WhatsApp

O WhatsApp, com o mesmo propósito do Twitter de combater a desinformação em meio ao coronavírus, limitou o reenvio de mensagens retransmitidas com frequência. 

A restrição abrange apenas aquelas mensagens que são reenviadas diversas vezes e são classificadas no aplicativo com o símbolo de “setas duplas”. Ao receber esse tipo de mensagem, o usuário agora só conseguirá reenviar uma única vez. Já em relação às mensagens comuns, sem o símbolo, tudo permanece igual e a pessoa pode fazer o encaminhamento até pra 5 pessoas. 

Entendendo o aumento do home office, a rede social decidiu também realizar outra mudança. 

Se antes o permitido era 4 pessoas em uma chamada de videoconferência, agora já é 8. E, em breve, estará disponível na versão do Whatsapp Web e do aplicativo para desktop, um recurso que permite até 50 usuários estarem juntos e ao mesmo tempo conversando por vídeo. 

Uma forma bem legal de estar junto com aqueles que, por enquanto, precisam estar longe fisicamente!

 

Redes sociais pandemia

O WhatsApp agora permite que até 8 usuários conversem em uma videoconferência / Foto: Reprodução 

LinkedIn

Até a rede profissional LinkedIn se “mexeu” durante o isolamento que estamos vivendo!

A plataforma desde o dia 1 de abril está oferecendo ajuda às empresas a contratar profissionais. Mas, que tipo de ajuda?

A iniciativa, que é válida até 30 de junho, se refere a possibilidade de postagens gratuitas de vagas por organizações que estão na linha de frente ao combate ao vírus. 

Na área da saúde, hospitais e tudo que for relacionado à prática médica, atendimento médico e hospitalar podem aproveitar a oferta da rede. Ainda, há a possibilidade para supermercados, empresas de armazenagem e entrega de encomendas e também organizações sem fins lucrativos de apoio em situações de desastres.

Os candidatos a empregos na área da saúde, por exemplo, conseguem encontrar rapidamente oportunidades disponíveis, ao passo que vagas de funções urgentes ficam em destaque na página. Um jeito de facilitar a conexão entre as empresas e os possíveis novos colaboradores. 

Já para as instituições sem fins lucrativos, está sendo oferecido suporte por meio do programa Recrutando para o Bem, em que de forma voluntária, usuários do LinkedIn com experiência em recrutamento farão a seleção de talentos para vagas urgentes. 

Gostou do conteúdo sobre o que as redes sociais estão fazendo em tempos de coronavírus? Confira também quais são as mídias que vêm sendo mais acessadas durante esta quarentena!

 


Compartilhar:

Aldeia Marketing de Conteúdo
Por:
Aldeia Marketing de Conteúdo